Can’t let this go

Se compararmos a vida com um livro, cada fase seria um capítulo. Alguns capítulos são mais longos, outros menores. Nem sempre é a quantidade de páginas que constitui aquele capítulo que mostra a sua importância. Algumas pessoas tem a habilidade de rondar a sua vida por anos e anos e no final não acrescentarem nada. Já outras conseguem mudar a sua vida tendo uma breve passagem, muitos diriam ate que insignificante, perante sua pequena quantidade de linhas. O meu livro ainda é fino, comparado ao de pessoas muito mais velhas, mas posso dizer que para uma pessoa de 17 anos ele é bem volumoso. A história que eu quero contar é a respeito de um desse capítulos. Esse capítulo é longo e volumoso, conta a história de dez anos da minha vida em que vivi em um mundo de magia e imaginação.

Eu lembro claramente quando a minha mãe chegou em casa de viagem comentando sobre um livro que contava a história de um bruxo. Debateu-se por dias a questão de este livro ser lido para mim, já que a história era um pouco pesada.  Quando foi decidido que eu já era crescida o suficiente para entender a história, apesar dos meus meros sete anos, meu pai começou a ler a história para mim, trocando palavras difíceis por palavras que eu entenderia. Toda noite, antes de dormir, eu ia para a cama dos meus pais e o meu pai lia uma capítulo do livro. Esse processo foi o mesmo durante quatro anos, depois eu li os livros por conta. A cada livro, era como se eu entrasse na história. Conseguia me imaginar perambulando os corredores de Hogwarts e passando as noites na sala Comunal. Lembro de comprar tudo que saía sobre a serie, revistas, álbuns de figurinhas, posters. Naquela época não tinha varinhas e vestes sendo vendidas online, então era preciso usar a imaginação. Simples vassouras se tornavam Nimbus 2000, especiarias era usadas como ingredientes de poções e vasilhas como caldeirões.

Eu vivi nesse mundo por 10 anos. Dez anos que quando analisados agora, passaram voando. Dez anos que Harry, Rony e Hermione foram partes constantes da minha vida. Pode soar clichê, mas eu aprendi muitas coisas com essa história. Acho que a parte mais bonita da história  é a amizade dos três. É aquela vontade de ter algo tão forte quanto eles tiveram.

Eu demorei a escrever esse texto. Acho que pelo mesmo motivo pelo qual demorei para assistir o filme: medo do fim. Quando fechei o sétimo livro, há dois anos, veio um sentimento de perda. Mas, poxa, porque ficar triste? Ainda tinha as duas partes do sétimo filme! Mais dois anos de magia. Esse sentimento de perda se tornou mais forte quando a luz do cinema acendeu e era me deparei com a verdade: acabou. Por mais que eu queira fugir, não há para onde escapar. Agora é para sempre.

Esta na hora de seguir em frente, mas nunca deixar Hogwarts para trás.

 

“No story lives unless someone wants to listen. The stories we love best live in us forever. So whether you come back by page or by the big screen, Hogwarts will always be there to welcome you home.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: